segunda-feira, 30 de maio de 2016

P.E.C. Nº 356: Rali de Portugal/2016, 'Viana do Castelo 1'


Fazer um balanço pessoal sobre a pretérita edição do Rali de Portugal, passa invariavelmente, ano após ano, por incluirmos numa mesma (impossível?) equação números, emoçõesmemórias

Sabemos, por exemplo, que neste ano de dois mil e dezasseis averbamos 1089 quilómetros em viatura de aluguer durante três dias para seguir as peripécias da prova. 

Estão devidamente contabilizadas no contexto do evento despesas inevitáveis como custos com combustível, portagens ou refeições. 

Mas quanto vale uma mera dúzia de segundos (por vezes até menos) a cada dois minutos a ver passar carros (a cada ano mais velozes) sensacionais, verdadeiras peças de fina relojoaria para Ralis? 

Será mensurável a satisfação de comparar, ao alcance do olhar, estilos de condução dos melhores pilotos do mundo? 

Quanto não significa um ato tão simples como, após uma caminhada de vários quilómetros em direção ao troço debaixo de um sol vigoroso, poder tragar de um só gole uma (bom: às vezes mais que uma…) cerveja gelada? 

E os amigos? 

Quanto vale uma boa e descontraída conversa com os amigos que fomos granjeando nestas andanças, ou as palavras que se trocam com pessoas que se vão conhecendo pelas classificativas deste nosso Portugal? 

Ou, como sucedeu há uma semana atrás, será quantificável o enorme prazer da descoberta, quando, no terceiro dia de Rali, não só de carro mas também a pé, nos embrenhámos nas profundezas do Marão em pleno trajeto de parte do mítico troço com o mesmo nome das décadas de setenta e oitenta, naqueles anos em que a homérica sequência Cabreira-Senhora da Graça-Marão se assumia como o Fado, Futebol e Fátima do melhor Rali do Mundo? 

Cumprindo em 2016 a bonita e respeitável idade de cinquenta primaveras, o Rali de Portugal continua a ter a capacidade de surpreender e devolver-nos ao profundo apreço que nutrimos pelos carros e pelas corridas. 

Mesmo quando, enquanto aficionados da prova e adeptos da modalidade, sentimos na pele e em discurso direto a atitude esquizofrénica com que a organização encara o público que se desloca aos troços

Mas das tiradas para a imprensa mais ou menos inflamadas do sr. Barbosa, ou do seguidismo delicodoce de Pedro de Almeida à narrativa do Todt e da Mouton, não reza a nossa história pessoal após cada Rali de Portugal. 

O que fica são os momentos expressos em números, emoções e memórias, em dias que inevitavelmente são sob um prisma pessoal muito felizes (ser feliz, esse luxo mundano dos tempos de hoje...) e revigorantes. 

Ou, para memória futura, partilhados neste e nos próximos trabalhos, alguns flashes em forma de filme que fomos colhendo durante a edição do Rali de Portugal terminada há alguns dias.

«»«»«»   «»«»«»   «»«»«»   «»«»«»   «»«»«»   «»«»«»   «»«»«»

 SÉBASTIEN OGIER / JULIEN INGRASSIA  - Volkswagen Polo R WRC

 HAYDEN PADDON / JOHN KENNARD  - Kyundai New Generation i20 WRC

 MADS OSTBERG / OLA FLOENE  - Ford Fiesta RS WRC

 ANDREAS MIKKELSEN / ANDERS JAEGER  - Volkswagen Polo R WRC

 DANI SORDO / MARC MARTI  - Hyundai New Generation i20 WRC

 JARI-MATTI LATVALA / MIIKKA ANTTILA  - Volkswagen Polo R WRC

 OTT TANAK / RAIGO MOLDER  - Ford Fiesta RS WRC

 THIERRY NEUVILLE / NICOLAS GILSOUL  - Hyundai New Generation i20 WRC

 STÉPHANE LEVEBVRE / GABIN MOUREAU  - Citroen DS3 WRC

 HENNING SOLBERG / ILKA MINOR  - Ford Fiesta RS WRC

quarta-feira, 11 de maio de 2016

P.E.C. Nº 355: Os Ralis portugueses compram nas lojas chiques da Baixa...


Os Ralis portugueses têm alguma vaidade

Gostam de cuidar da aparência

Atualmente a modalidade no nosso país está elegante e sedutora

É ver a quantidade de gente que anda por aí com roupas de qualidade da marca R5, e acorre às lojas à procura das mais recentes coleções com assinatura EVO

Socorrendo-nos da metáfora, digamos que os nossos Ralis portugueses gostam, portanto, de comprar nas lojas da moda ali pela Baixa de Lisboa

São Ralis mais de boutique que de outlet

Existe algum problema pelo facto da modalidade cá pelo burgo apreciar vestir os dispendiosos R5

Não

Nenhum

Pelo contrário, até. 

De forma alguma diabolizamos quem pode ou consegue reunir a maquia suficiente para essas indumentárias

Pudessem todos (ou pelo menos a grande maioria…) dos pilotos nacionais competir com tais automóveis e ficaríamos certamente, como qualquer outro aficionado dos desfiles de moda de quatro rodas pelos troços deste Portugal, muito felizes com tal realidade. 

O problema não está, sejamos claros, no facto dos Ralis portugueses 'comprarem na Baixa Pombalina de Lisboa': a questão reside é, passe o exagero, em lhes ser completamente vedado 'comprar na Feira da Ladra', ou, com mais propriedade, numa daquelas alfaiatarias com corte e costura à medida que se encontram mais ou menos em vias de extinção. 

Vêm estas hipérboles e figuras de estilo a propósito da comparação que recentemente foi possível realizar entre as performances dos carros R5 e o conceito sul-americano dos automóveis construídos em torno da filosofia Maxi Rally

Não obstante sabermos que os Maxi Rally do campeonato argentino têm um índice de performances muito interessante, o mano-a-mano aprazado para o país das pampas no recente Rali da Argentina (ainda para mais em troços de terra, onde os diferenciais jogam papel decisivo na motricidade do automóvel) tinha tudo para redundar em vitória dos R5 por nocaute, dada a sua clara supremacia técnica perante os adversários do lado de lá do Atlântico. 

Com alguma surpresa, não foi exatamente assim. 

Uma análise pormenorizada às vicissitudes da prova, bem como aos tempos realizados pelos mais rápidos aos comandos de cada um dos bólides nos dezoito troços do evento (ver quadro infra), permite verificar que a diferença entre os R5 e os Maxi Rally cifrou-se em média abaixo de um segundo por quilómetro (a favor dos primeiros), e só aumentou na fase final da prova quando Padilla reduziu o ritmo a partir do momento em que Luciano Preto se viu a braços com problemas mecânicos no seu Peugeot (ilustrado na fotografia que abre este trabalho) obrigando-o inclusive a desistir na penúltima especial do Rali, e Elfyn Evans (em 2015 piloto oficial da Ford e atualmente, ainda que num degrau abaixo, continuando com forte apoio da M-Sport), com a classificação do WRC2 em linha de mira, estava a rodar no limite procurando recuperar da desistência e subsequente atraso no primeiro dia do evento

Uma diferença de um segundo por quilómetro em Ralis de terra pode ser grande com carros iguais, mas atendendo à desproporção de meios envolvidos e à tecnologia empregue nos carros ora em comparação, pode-se dizer que é altamente abonatória para os Maxi Rally, ficando a dúvida de como seria se, ao invés dos duros troços em gravilha da prova sul-americana, a comparação se fizesse num qualquer Rali em asfalto com tempo seco. 

Independentemente de quaisquer exercícios comparativos, o que fica do último Rali da Argentina disputado no final de abril é a extrema validade do conceito Maxi Rally

Em Portugal o fulcro da questão não é, nem nunca foi, os R5

A questão, endémica, é a resistência que a modalidade tem, e teima em continuar a ter, a tudo o que fuja ao padrão normalmente instituído. 

Enquanto aqui ao lado a filosofia oriunda do país do tango está a ser trabalhada com vista à sua implementação nos Ralis espanhóis, em Portugal continua a não se poder ‘comprar na Feira da Ladra’, que é como quem diz, os regulamentos simplesmente não permitem o recurso a quaisquer outras categorias de carros além das instituídas pelas instâncias internacionais. 

Os Maxi Rally poderiam ser uma opção válida e consistente para diversos pilotos portugueses que têm alguma capacidade para arranjar patrocínios, mas estão parados porque as verbas que conseguem reunir não chegam para montar um projeto baseado num R5

O conceito 'MR' é simples. 

Motor único, potente e ruidoso, aparência racing, diversos elementos mecânicos provindos dos Mitsubishi e Subaru de produção a que se juntam um curso de suspensão mais longo e travões de maior dimensão, com a adoção de um kit único que permite a transformação das duas rodas motrizes para carro de tração total. 

O custo de construção visa equiparar-se aos bólides do grupo N (embora o valor real esteja possivelmente uns furos acima disso), e os encargos de manutenção, num automóvel de mecânica simples, são particularmente atrativos quando comparados com os R5

O pacote é, por isso, deveras apelativo, tendo em atenção o rácio entre custos e performance, naquilo que é um produto que podia ajustar-se na perfeição às necessidades de uma série de pilotos nacionais, ideia em abstrato a que a própria FIA não será totalmente alheia uma vez que aparentemente começa a dar alguns sinais de interesse por esta categoria de automóveis para Ralis.

«»«»«»«»«»     «»«»«»«»«»    «»«»«»«»«»

 YPF RALLY ARGENTINA 2016 
 R5 vs Maxi Rally 

‘CÓRDOBA’
- 1,50 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Nicolás Fuchs
Piloto
Alejandro Cancio

+ 3,000 segs/km


Copiloto
Fernando Mussano
Copiloto
Santiago García
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Chevrolet Agile Maxirally T
Tempo realizado
1m:32,1s
Tempo realizado
1m:36,6s
‘SOCONCHO – VILLA DEL DIQUE (1)’
- 24,71 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Nicolás Fuchs
Piloto
Gerónimo Padilla

+ 0,975 segs/km


Copiloto
Fernando Mussano
Copiloto
Nicolás García
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
14m:09,7s
Tempo realizado
14m:33,8s
‘AMBOY – SANTA MÓNICA (1)’
- 20,44 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Nicolás Fuchs
Piloto
Luciano Preto

+ 1,492 segs/km


Copiloto
Fernando Mussano
Copiloto
Marcelo Dez Ohannesian
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Peugeot 208 Maxirally 1.6T
Tempo realizado
11m:36,5s
Tempo realizado
12m:07,0s
‘SANTA ROSA – SAN AGUSTIN (1)’
- 23,85 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Didier Arias
Piloto
Luciano Preto

+ 0,080 segs/km

Copiloto
Héctor Nunes
Copiloto
Marcelo Dez Ohannesian
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Peugeot 208 Maxirally 1.6T
Tempo realizado
15m:42,9s
Tempo realizado
15m:44,8s
‘SUPER ESPECIAL PARQUE TEMÁTICO (1)’
- 6,04 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Nicolás Fuchs
Piloto
Luciano Preto


+ 0,381 segs/km


Copiloto
Fernando Mussano
Copiloto
Marcelo Dez Ohannesian
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Peugeot 208 Maxirally 1.6T
Tempo realizado
5m:03,5s
Tempo realizado
5m:05,8s
‘SOCONCHO – VILLA DEL DIQUE (2)’
- 24,71 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Abdulaziz
Al-Kuwari
Piloto
Gerónimo Padilla

- 0,028 segs/km

Copiloto
Killian Duffy
Copiloto
Nicolás García
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
14m:22,2s
Tempo realizado
14m:21,5s
‘AMBOY – SANTA MÓNICA (2)’
- 20,44 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Nicolás Fuchs
Piloto
Luciano Preto

+ 0,646 segs/km


Copiloto
Fernando Mussano
Copiloto
Marcelo Dez Ohannesian
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Peugeot 208 Maxirally 1.6T
Tempo realizado
11m:43,0s
Tempo realizado
11m:56,2s
‘SANTA ROSA – SAN AGUSTIN (2)’
- 23,85 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Nicolás Fuchs
Piloto
Gerónimo Padilla


+ 0,872 segs/km


Copiloto
Fernando Mussano
Copiloto
Nicolás García
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
15m:12,8s
Tempo realizado
15m:33,6s
‘SUPER ESPECIAL PARQUE TEMÁTICO (2)’
- 6,04 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Nicolás Fuchs
Piloto
Luciano Preto

+ 0,811 segs/km


Copiloto
Fernando Mussano
Copiloto
Marcelo Dez Ohannesian
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Peugeot 208 Maxirally 1.6T
Tempo realizado
5m:09,5s
Tempo realizado
5m:14,4s
‘VILLA BUSTOS - TANTI (1)’
- 19,71 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Elfyn Evans
Piloto
Luciano Preto

+ 1,055 segs/km


Copiloto
Craig Parry
Copiloto
Marcelo Dez Ohannesian
Carro
Ford Fiesta R5
Carro
Peugeot 208 Maxirally 1.6T
Tempo realizado
10m:34,1s
Tempo realizado
10m:54,9s
‘LOS GIGANTES – CANTERA EL CONDOR (1)’
- 38,68 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Abdulaziz
Al-Kuwari
Piloto
Gerónimo Padilla


+ 0,690 segs/km


Copiloto
Killian Duffy
Copiloto
Nicolás García
Carro
Skoda Fabia R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
21m:56,4s
Tempo realizado
22m:23,1s
‘BOCA DEL ARROYO – BAJO DEL PUNGO (1)’
- 20,52 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Elfyn Evans
Piloto
Gerónimo Padilla

+ 1,384 segs/km

Copiloto
Craig Parry
Copiloto
Nicolás García
Carro
Ford Fiesta R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
14m:30,6s
Tempo realizado
14m:59,0s
‘VILLA BUSTOS – TANTI (2)’
- 19,71 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Elfyn Evans
Piloto
Luciano Preto


+ 1,487 segs/km


Copiloto
Craig Parry
Copiloto
Marcelo Dez Ohannesian
Carro
Ford Fiesta R5
Carro
Peugeot 208 Maxirally 1.6T
Tempo realizado
10m:21,0s
Tempo realizado
10m:50,3s
LOS GIGANTES – CANTERA EL CONDOR (2)’
- 38,68 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Hubert Ptaszek
Piloto
Gerónimo Padilla


- 0,067 segs/km


Copiloto
Maciek Szczepaniak
Copiloto
Nicolás García
Carro
Peugeot 208
T16 R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
22m:19,7s
Tempo realizado
22m:17,1s
‘BOCA DEL ARROYO – BAJO DEL PUNGO (2)’
- 20,52 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Elfyn Evans
Piloto
Gerónimo Padilla

+ 2,315 segs/km

Copiloto
Craig Parry
Copiloto
Nicolás García
Carro
Ford Fiesta R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
14m:22,8s
Tempo realizado
15m:10,3s
‘EL CONDOR - COPINA’
- 16,32 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Elfyn Evans
Piloto
Gerónimo Padilla


+ 1,893 segs/km


Copiloto
Craig Parry
Copiloto
Nicolás García
Carro
Ford Fiesta R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
15m:14,9s
Tempo realizado
15m:45,8s
‘MINA CLAVERO – GIULIO CESARE’
- 22,64 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Elfyn Evans
Piloto
Gerónimo Padilla

+ 0,746 segs/km

Copiloto
Craig Parry
Copiloto
Nicolás García
Carro
Ford Fiesta R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
20m:12,4s
Tempo realizado
20m:29,3s
‘POWER STAGE EL CONDOR’
- 16,32 quilómetros -
Mais rápidos (R5)
Mais rápidos (Maxi Rally)
Diferença média por quilómetro
Piloto
Elfyn Evans
Piloto
Gerónimo Padilla

+ 2,059 segs/km

Copiloto
Craig Parry
Copiloto
Nicolás García
Carro
Ford Fiesta R5
Carro
Ford Fiesta Maxirally 1.6T
Tempo realizado
14m:10,3s
Tempo realizado
14m:43,9s

A FOTO PRESENTE NESTE TRABALHO FOI OBTIDA EM:
- http://www.ewrc.cz/ewrc/image_browse.php?id=286896&entry=0&car=0